Ir ao conteúdo

guiado pelo medo

a bússola que usei já não me serve mais
era só o que conhecia e era o que me protegia
mudando o norte ao chegar perto de um destino
passei a vida sem saber que eu estava só fugindo
agora perdido e imóvel me sinto exausto
como uma roda girando em falso no asfalto
o calor do atrito é compensado pela frieza de expressões
o cheiro de queimado é ignorado pela perda do olfato
sem mais pessoas a culpar e sem saber pra onde ir
noto uma fresta na carcaça que me permite abrir
encontro uma peça sobre a qual nada aprendi
o medo é o imã que me impede de seguir
agora eu entendo, finalmente percebi
que quando falava de você eu falava de mim

Publicado empoemas

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *